DEUS X IMPERFEIÇÃO X MALDADE

POR :Criaturo
IMAGEM REAl DO TELESCÓPIO HUBBLE
IMAGEM REAL DO TELESCÓPIO HUBBLE
                              DEUS X MALDADE X IMPERFEIÇÃO

Esta intrigante questão abre as portas da filosofia, dando asas ao imaginário, são muitas as teorias tentando justificar e explicar, a imperfeição da maldade humana.Pois, insustentável seria a manutenção na crença de um Deus justo, bom e perfeito criando seres maldosos e imperfeitos.

São varias as correntes de pensamentos filosóficos e religiosos, tentando conciliar, esta que seria a grande contradição de um Deus perfeito Ter criado seres imperfeitos. Uns defendem uma criação perfeita, mas tendo como diabo o livre arbítrio sendo o verdadeiro vilão, por sua própria vontade a raça humana teria se tornado má. Outros que todos foram criados nem bons, nem maus, mas simples e ignorantes e devido ao seu livre arbítrio , tornaram-se o que são hoje. Existem também aqueles que não contentando se com a maravilhosa existência de um único Deus, resolveram criar outro com poderes semelhantes e contrários ao Deus bom, assim é que resolveram transformar o diabo do seu livre arbítrio em um ser oposto a Deus , para poderem justificar suas próprias maldade, isentando-se do pecado de querer atribui las ao seu próprio criador .

Mas insensatez, é querer justificar uma aparente contradição divina, criando–se uma contradição humana ainda maior, dizendo que um Deus perfeito e justo tenha criado um ser semelhante a ele em poderes, porem contraditoriamente seria este, o maior exemplo de um oposto divino.  Neste caso , também o livre arbítrio continuaria sendo o grande vilão depondo contra a sabedoria divina.A maldade ou imperfeição do ponto de vista divino, representa a criação de seres individuais, com pensamentos e personalidades diferentes de Deus, logo não possui o mesmo sentido pejorativo humano de uma coisa ruim e daninha a raça humana, pois este conceito do homem, elimina a crença em um Deus bom, perfeito e Justo. Mas se considerarmos que nós somos a maldade imperfeitas vindas de Deus, apesar de estarmos insinuando uma falsa aparência de humildade, este masoquismo não é sinônimo de humildade e sim de um pensamento demoníaco ou ateu em querer reprovar a sabedoria divina na imperfeição da sua criação.

Quando na verdade esta imperfeição da criação humana representa a possibilidade da nossa própria existência, isto se torna uma critica infundada contra o nosso próprio criador.

A maldade, imperfeição e diferenças individualizadas em almas são as características, que determinam e limitam as criaturas do seu perfeito criador. Elas representam apenas algo que seja diferente da perfeição divina, Portanto maldade e a imperfeição não podem ser o próprio Deus e sim apenas características que identificam aquilo que não é Deus, ou seja o imperfeito. Sim características que possibilitam a existência de seres que não sejam o próprio Deus perfeito.

Querer reprovar a imperfeição da criação divina é querer reprovar a razão que possibilita a nossa própria existência.

Principalmente quando são essas diferenças que nos deram a forma e nos tornaram seres distintos e individualizado do perfeito Deus e de todos outros seres da sua criação.

Esta é verdadeira semelhança humana com Deus! em toda a criação de um infinito universo sua alma também é Única e possui uma personalidade própria, que te identifica e distingui de todas as infinitas outras criaturas.

A grande questão é : Porque Deus não criou seres perfeitos como ele é ? Assim não teria inventado a maldade (ou seres diferentes da sua perfeição divina)?

Só é possível existir uma Única Perfeição Divina, se Deus criar outra Perfeição Divina ele apenas estaria refletindo sua imagem perfeita, e continuaria sendo ele mesmo, também não teria criado algo diferente dele com uma personalidade(alma) individualizada e distinta dele ou seja imperfeita, mas apenas teria criado pequenos reflexos dele, venerando a ele mesmo.

Deus criou filhos imperfeitos, para que pudessem existir, sendo diferentes dele e não Perfeitos robôs, dizendo sim, Amo!

Fiz propositadamente essa pergunta, do tipo: Qual a cor do cavalo branco de Napoleão?

Ou seja, a própria pergunta já contem a resposta: Se Deus tivesse criado algo perfeito como ele, Não teria criado nada !E tudo continuaria sendo ele mesmo! Pois sem a imperfeição, sem diferenças, sem criação, sem criaturas individualizadas do seu criador, sem a personalização que identifica e torna a alma humana única. Só haveria um Deus e nada mais.

Esta é a grande Maravilha da criação:

Em todo universo infinito, você é um ser Único! Não existem dois átomos totalmente idênticos!  Como o mestre Jesus ensinou muito bem, Se uma ovelha divina se afastar de Deus, ele ira procurar até conseguir resgatá-la, pois tem consciência que igual a ela não existirá outra, em todo seu infinito rebanho universal.

Entenda como alma humana todas as criaturas existentes na sua individualidade que não sejam o próprio Deus e tudo que é diferente de Deus é imperfeito.

A maldade humana representa:

Ser diferente de Deus, portanto obrigatoriamente ser imperfeito, possuir uma alma individualizada e distinta de Deus e todas as criaturas e possuir um livre-arbítrio.

A maçã no paraíso representa o dia que o homem adquiriu o livre arbítrio que lhe possibilitou adquirir conhecimento , portanto obrigando-o assumir responsabilidade pelo seus atos, imposto através do conhecimento adquirido. Ao contrario do que alguns pensam, o livre arbítrio não é um instrumento sádico divino, dado ao homem apenas para justificar uma já prevista punição futura e sim a maravilhosa prova que Deus tenha conseguido criar algo que não seja ele mesmo, ou seja seres imperfeitos, com vontade e personalidade alma próprias.

Assim é que a nossa imperfeição (maldade) como todas as coisas vieram de um único Deus, no entanto a imperfeição dos seres diferentes de Deus, é que tornaram possível a criação da nossa existência. Para existir algo que não seja o próprio Deus Perfeito, este algo tem que ser criado diferente de Deus ou seja, imperfeito:

a) Se Deus criar algo perfeito e idêntico a ele mesmo, não terá criado nada, apenas continuou existindo sua perfeição em uma personalidade única. Sem imperfeição, sem diferenças sem criação, então o que sobra é Deus.

b)Deus não consegue superar sua insuperável perfeição, criando outra personalidade alma acima da sua própria perfeição divina.

c)Deus só pode criar novos seres com personalidades diferente da sua perfeição, ou seja seres imperfeitos.

Contudo é necessário considerarmos que as diferenças criadas por Deus ficou conhecida por nós como a “maldade” da imperfeição humana, mas se existe uma diferença criada para possibilitar a nossa individualização de Deus, essa imperfeição diferente de Deus, não deve ser considerada por nós uma coisa ruim, maldosa, perniciosa, sádica ou injusta e sim como a única possibilidade da existência de seres com identidade e personalidades próprias (almas) diferentes de um Único ser perfeito Deus. Seria mesmo contraditório um Deus perfeito e justo , se arrepender de ter criado seres imperfeitos e mandar um dilúvio para extermina quase toda raça humana com a exceção de apenas uma família Noé. Mas isto também não significa que as pessoas que escreveram este relato não passaram mesmo por uma grande inundação nas terras que habitavam, devido a mudanças geográficas. Mas daí a dizer que houve mesmo um dilúvio total do planeta Terra, justificado pela fraqueza de um arrependimento divino? Isso seria como se Deus estivesse assinando um atestado da sua própria incompetência divina. Digamos que este relato bíblico testifica apenas a ignorância de um povo ao imaginarem um deus, castigando e exterminando os seus próprios filhos por puro sadismo e vingança.

Acreditar em um inferno eterno, é acusar Deus de ser um sádico, criando seres imperfeitos, só para ter o prazer de vê los sofrendo e sendo castigados pela maldade criada pôr ele mesmo. Contudo a dor , o sofrimento, trabalho e o prazer do progresso da vida individualizada em uma personalidade alma , tudo isso tornou-se possível graças a imperfeição das criaturas divinas. Isto considerando, que Deus tenha criado seres imperfeitos e lhes tenha dado o livre-arbítrio, ou seja uma alma com personalidade única de livre ação semelhante a ele .

Até aqui, espero ter sido bem claro, que se Deus tivesse criado outros seres perfeito, ele não teria criado nada, pois tudo continuaria sendo a sua própria e única perfeição existente.

Mais uma questão:

Mas então porque ele não criou seres embora imperfeitos , que fossem mais próximos da sua perfeição. Esta pequena diferença de perfeição continuaria evidenciando a existência de um perfeito criador, acima das suas criaturas?

Tudo isso continuaria respeitando a possibilidade da criação de seres distintos do criador, Mas com uma enorme vantagem: A “Maldade” que nasce nas diferenças da imperfeição, seriam menos prejudiciais e diminuiria muito o caminho entre a imperfeição humana e o Bem Comum e Universal da Perfeição Divina ? Assim supostamente a imperfeição ou a maldade dos seres da criação quase não mais existiriam ? Isto já foi respondido:

Mas melhor que “os quase perfeitos” seriam os “humanos perfeitos” e iguais a Deus certo?

Errado! Isso representaria a morte eterna na fusão de bilhões de personalidades individuais de seres imperfeitos em uma ÚNICA perfeita personalidade Deus, o que anularia a razão da existência de bilhões de personalidades almas individualizadas, que embora imperfeitas, são também únicas e representando a imagem de um criador também único. Da mesma forma, se Deus transformasse todas as personalidades de seres imperfeitos em uma única personalidade de um único ser quase perfeito chamado “Humanidade”, ele estaria reduzindo sua criação do infinito humano imperfeito , tendendo a morte eterna igualando se aoÚnico e perfeito Deus. Isto também é contrario a criação divina, pois significaria a verdadeira morte eterna de infinitas personalidades almas em uma única quase perfeita personalidade alma humana. Só a imperfeição torna possível a individualidade universal da nossa existência, agindo como uma fonte da juventude alimentando eternamente a nossa alma infantil, no prazer do trabalho do descobrimento, brincando no didático “lego divino” encontrando a desconhecida Razão Divina , participando, imitando ,entendendo e dominando as maravilhosas obras do Arquiteto do Universo.

O conhecimento perfeito e o controle absoluto eliminariam o futuro, e nos tornaria seres entediados e desmotivados .

Ser perfeito é bom é maravilhoso, é único, é Deus!

Sendo impossível Deus criar outro ser perfeito e que seja diferente dele, então podemos acreditar que tenha compensado essa diferença na sua criação imperfeita, com um prazer humano acima da perfeição Divina: O prazer de não conhecermos o futuro, do eterno trabalho pelo descobrimento da perfeição divina em todas suas obras. Sim! fatalmente o homem ao chegar ao final da sua jornada terrena, pensa: Gostaria de pegar toda minha experiência, esquece la pôr algum tempo e sentir o prazer de me tornar novamente uma criança, em busca do desconhecido futuro. Ter novamente o prazer de poder me fazer descobrir, dominar e sentir-se uma “razão” dentro do universo.

Se os pais imperfeitos da criação, muitas vezes sacrificam o seu bem estar para poderem beneficiar seus filhos, amando-os mais que a si próprios. Como nos ensinou o sábio mestre Jesus: “Vós que sois imperfeitos se seus filhos lhes pedirem um pão, não dariam uma cobra! Quanto mais o vosso Perfeito Pai Celeste, que lhes dara a vida eterna.

Não devemos imaginar, que Deus faria menos pelo seus filhos , não temos outra hipótese, a não ser considerarmos que a imperfeição humana seja o Amor Perfeito do Pai Celestial nos dando algo acima da sua própria perfeição, o prazer de não se conhecer o futuro.

Finalizo deixando uma grande questão para a qual ainda não encontrei uma tentativa de resposta coerente:

Porque Deus resolveu criar?

a) Se Deus não houvesse criado seres imperfeitos, nada mais existiria alem dele mesmo. Do ponto de vista humano isso o qualificaria como um convencido egoísta se achando um auto-suficiente.

b) Se Deus criou outros seres imperfeitos isto indica que ele não é auto-suficiente, sendo carente necessita de outros seres inferiores a ele para se sentir o todo poderoso. Se considerarmos que a hipótese acima destacada seja verdadeira, esta afirmação se torna incoerente.

Anúncios

38 comentários em “DEUS X IMPERFEIÇÃO X MALDADE”

  1. são muitas as teorias tentando justificar e explicar, a imperfeição da maldade humana.

    Discordo totalmente. Existem muitas teorias tentando justificar e explicar Deus.

    ” Porque Deus não criou seres perfeitos como ele é ? Assim não teria inventado a maldade (ou seres diferentes da sua perfeição divina)?”

    Só o cristão, valendo-se da sua hipocrisia, não enxerga que seu Deus é mau. Muito mau. Se Deus existisse, não haveria nenhum problema para se justificar a maldade humana, uma vez que Deus nos teria feito à sua imagem e semelhança.

    ” Não existem dois átomos totalmente idênticos!”>

    KKkkkkkk Já vi que essa aula de química você faltou…

    Essa sua interpretação do MITO — porque a Bíblia é uma coleção de mitos — do Paraíso foi muito engraçada. Deus “deu” o livre-arbítrio (com hífen, tá?) à humanidade? É uma prova do amor de Deus ele ter “dado” o livre-arbítrio? Mas por esse mesmo mito, ele não Deu não… Aliás, ele ficou muito puto depois que o povo lá comeu o fruto proibido (ele não diz que é uma maçã, tá?)…

    ” seres com identidade e personalidades próprias (almas) diferentes de um Único ser perfeito Deus.”>

    Uma vez que Deus é um personagem criado por seres humanos, ele não tem nada de perfeito. Muito ao contrário, ele é cheio de defeitos humanos: ele tem raiva, tem ciúme, ele se esquece das coisas às vezes, ele se arrepende, ele muda de ideia e de opinião, ele é injusto, ele é mau, etc.

    “Ser perfeito é bom é maravilhoso, é único, é Deus!”>

    Ah, mas você pode escrever o que quiser. Até essa frase de para-choque de caminhão aí. O problema para o crente é que ele só consegue palmas e aleluias para uma imbecilidade dessas quando fala isso para um outro crente, porque, se fala para um ateu ele vai passar vergonha.

    Chamar Deus de bom só prova que você nunca leu sua Bíblia, ou não faz a menor ideia do que seja ser “bom”. O Deus do mito cristão não tem nada de perfeito; ele é apenas um ser inventado com a média de todos os defeitos asquerosos da moral asquerosa dos seres primitivos que o criaram. E o cristão acha que ele é único apenas por vontade, ou por ignorância, pois bilhões de pessoas creem em milhares de outros deuses. Ah, esses outros milhares de outros deuses não existem? Parabéns!! Você está certo. Só que o seu Deus também não existe. Se você conseguir “matar” só mais esse Deus, vai ficar igual a mim: um ateu, um ser livre.

    Curtido por 1 pessoa

  2. prezado Valmidênio Barros
    Grato por ter participado, o forum é sem restrições e todos comentarios devem aparecer automaticamente, mas o blog deve ser inteligente pois considerou os seus comentarios como spams! he..he..he “perco a amizade , mas não dispenso uma piadinha!” voltando a falar serio, o seu comentario foi bloqueado como spam pois continha um link, eu desconhecia esse detalhe e ja corrigi o problema , peços desculpas pelo inconviniente , pois tambem não gosto de blogs fechados.
    Barros diz: Discordo totalmente. Existem muitas teorias tentando justificar e explicar Deus.
    R: você tem certeza que leu pelo menos este começo do post: “são muitas as teorias tentando justificar e explicar, a imperfeição da maldade humana” eu acho que voce realmente esta dormindo pouco…he..he..he…. e não ta falando coisa com coisa!
    É uma prova do amor de Deus ele ter “dado” o livre-arbítrio?
    R: voce tambem não leu isto: “Neste caso , também o livre arbítrio continuaria sendo o grande vilão depondo contra a sabedoria divina”
    O restante do seu comentario demonstram que voce é um revoltado contra todas religiões e leva a biblia mais serio que muitos crentes, pois não sei se observou que no texto eu não falei nada com referencias biblicas , mas não generalize os 4% dos ensinamentos cristão, como sendo toda à biblia cristã, apesar dos ensinamentos cristãos ser o resumo mais aproveitavel da biblia não crendencia toda a biblia, como sendo de origem cristã.
    Sinto em voce uma revolta contra as contradições religiosas expondo um Deus ilógico que voce sabiamente não acredita, mas percebo em voce uma lacuna necessitando de um Deus que a preencha na essencia do seu ser.
    Sinceramente eu esperava mais da sua inteligencia, pois ja provou que que escreve bem , então! não seja timido! Eu esperava mais conteudo da sua pessoa mas, parece-me que interpretar não é muito o seu forte, neste caso eu percebi que voce só leu o titulo do post e saiu falando idéias ja pré concebidas contra religiões e principalmente a biblia, mas soube questionar em nada o argumento principal do post que justifica a maldade e a imperfeição das criaturas divinas, sem usar de idéias biblicas ou de nenhuma outra religão ou filosofia por mim conhecidas.
    Espero que voce realmente leia o post e argumente mais seriamente, quanto a aula de quimica leia este novo post: Epicuro questiona a perfeição divina, e vera que eu usei muito a quimica e a fisica para exemplificar e justificar a “origem do pecado original” ou da imperfeição humana! Mas se não conseguir entender, aguarde mais um pouco que no mesmo post estarei publicando, um desenho exemplificando didaticamente e fisicamente o argumento principal.
    abraço!

    Curtir

  3. Vanderlei, eu já disse antes e repito: tudo o que você ou qualquer outro crente em Deus sabe sobre essa divindade provém da Bíblia Sagrada, ou de algo baseado nela. O que o crente quer me fazer engolir é que nem tudo o que está na Bíblia é, de fato, a palavra de Deus, e que ele sabe exatamente distinguir qual é qual.

    Curtir

  4. Valdimenio
    Leia de fato o post e perceba que eu não usei nenhuma ideia pre concebida da biblia para justificar Porque imperfeição da criação não prova a inexistencia Da Perfeição Divina, gostaria que voce le-se tambem : Epicuro questiona a perfeição divina onde esta muito bem colocado e exemplificado esta questão bastante contraditória e polemica e muitop mal explicada por muitas religiões.
    Acredito que voce vai conseguir fazer comentarios mesmo que divergentes , mais inteligentes .
    sds

    Curtir

  5. Acho que é você que não lê o que eu escrevo: essa sua fé e mesmo a sua ideia da “perfeição” divina vêm da Bíblia, mesmo que você não tenha citado nada nesse texto. Foi isso que eu disse.

    E achei engraçado você ter desabilitado os comentários no outro texto…

    Curtir

  6. VALMIDÊNIO
    A perfeição divina não vem da biblia e sim da carcteristica de Deus.
    E não não desabilitei comentario nenhum, isso seria desonestidade da minha parte.
    sds

    Curtir

  7. Para refletir e abstrair:

    Deus deseja prevenir o mal, mas não é capaz? Então não é onipotente. É capaz, mas não deseja? Então é malevolente. É capaz e deseja? Então por que o mal existe? Não é capaz e nem deseja? Então por que lhe chamamos Deus?
    — Epicuro

    “Deus é um comediante atuando diante de uma plateia assustada demais para rir.”
    Voltaire, filósfo e Iluminista francês.

    “Deus é um ser mágico que veio do nada, criou o universo e tortura eternamente aqueles que não acreditam nele, pois os ama.”
    — Steve Knight

    Curtir

  8. prezado Oiced Mocam
    Muito me honra a sua ilustre presença no meu humilde blog, grato!
    Sobre o questionamento do filósofo grego Epicuro em relação a perfeição divna, gostaria que lê-se na integra o post: “Epicuro Questiona a Perfeição Divina” e se tiver algum argumento coêrente mesmo sendo contrarios a minha teoria, onde justifico: Porque a imperfeição da criação, não prova uma inexistencia de um Deus perfeito nesta questão tão polêmica e filosófica, faça o favor de deixa-los pois serão com certeza, motivos para uma maior reflexão da minha parte.

    “Deus é um comediante atuando diante de uma plateia assustada demais para rir.”
    Voltaire, filósfo e Iluminista francês.
    R: Com todo respeito a genealidade materialista do Voltaire, para alguem que foi considerado um “iluminista”, o humor dele era bastante “negro”.
    É bastante comum só enxergarmos nos outros algo que nos é bastante peculiar, no caso do Voltaire o sadismo é evidente.

    Deus é um ser mágico que veio do nada, criou o universo e tortura eternamente aqueles que não acreditam nele, pois os ama.”
    — Steve Knight
    R: Mais um sadico, Voltaire fazendo escola!
    Este deus humanizado do Steve sou um ateu convicto, Deus não tortura ninguem pelo contrario permite o Steve ironiza-lo e continua o amando todos os dias da sua eternidade, fornecendo a ele ar,terra e sol e chuva e muita mais do que a nossa vã filosofia ainda desconhece.
    A leis humanas por serem de origens imperfeitas, necessitam de um juiz decidindo por elas e fazendo reajustes buscando por uma maior justiça.
    Deus não julga nem condena ninguem, pois suas leis são perfeitas e didaticas e tem como objetivo maior o “BEM COMUM E UNIVERSAL”adquirido essa conciência o individuo ao perceber que ao andar contra a “Luz Divina” fica cégo e ofuscado, muda natualmente o movimento da sua direção no mesmo sentido das “´Perfeitas Leis Divinas” então de cego passa a ter o seu caminho iluminado pela luz divina, tropeçando menos deviando dos principicios que levam a escravidão da própria ignorancia destas mesmas leis divinas.
    Obs: Falando em luz Steve Knight bem que poderia ser chamdo de Stevie Wonder espiritualmente e não fisicamente falando.
    abraço

    Curtir

  9. OK Antonio!

    Se for possivel gostaria que comentasse suas teorias tambem aqui, fique a vontade para isso, assim poderei estuda-las e argumentar com voce.
    sds

    Curtir

  10. Vanderlei

    Bom dia!

    Você afirma que se Deus quizesse fazer algo diferente dele teria que ser algo imperfeito se não seria cópia dele mesmo.

    R- Com todo respeito a sua tese. Eu penso que deus criou o homem perfeito e a imperfeição e o mal que que nos vivemos e sofremos é articial e finita e temporária. É só existe nesta dimensão material. Tem um propósito pedagógico que objetiva tornar o paraíso futuro que hedaremnos após a morte, perceptível atraves do conhecimento de sua antítese o Mal.Já que o ser humano só apreende e tem percepção de uma realidade atravez do conhecimento e vivência da antítese desta mesma realidade. Conforme publiquei em minha tese.

    Vanderlei não é Deus que não conseguiu fazer o homem perfeito. Deus ainda não fez o homem. Deus esta fazendo o Homem neste momento. Como eu digo em minha tese: “o momento da nossa criação por Deus é o momento presente”. Esta Odisséia terrena faz parte do processo da criação divina do homem. Só após esta vida estará concluido o processo da criação. O Conhecimento da imperfeição e a experiência com o mal são necessários a para a percepção da perfeição absoluta que herdaremos.

    Voce diz tambem que se fossemos perfeitos vivendo numa dimensão perfeita nos entediaríamos e não seriamos felizes.

    R- Sobre este aspecto eu penso que o domínio do trinômio: tempo X espaço X materia
    que conquistamos imediatamente após esta vida constitui, entre outras coisas que não imaginamos, a grande ocupação e estímulos da vida espítual. não é por acaso que este universo que estamos começando a perceber é tão fantasticamente complexo e infinitamente grande. Creio que este universo em constante mutação seja um grande objeto de deleite do mundo espiritual.

    Curtir

  11. RESUMO DE UMA NOVA TEOLOGIA PARA…

    Vou resumir a minha tese “UMA NOVA TEOLOGIA PARA A HUMANIDADE” a seus pressupostos básicos, assim facilitará a leitura e a compreensão. Vale lembrar que os resumos podem omitir detalhes importantes. Recomendo a quem tiver curiosidade e tempo ler o texto todo.

    Existem leis universais que até Deus respeita e uma delas refere-se à forma de “como os seres inteligentes adquire o conhecimento e a aprendizagem”. É este princípio ou lei que fundamenta toda a minha tese. Vejamos em que consiste o mesmo tal como está postado no texto principal, neste blog:

    1 – “O conhecimento e a aprendizagem nos seres inteligentes só ocorre, só se efetiva, pela comparação de um objeto, de um fato ou de uma realidade com seus opostos ou antíteses”. Exemplo: só aprendemos que branco é branco porque conhecemos, ou por comparação com o preto; só aprendemos a conhecer o verde porque sabemos que é diferente do amarelo que por sua vez é diferente do vermelho e assim por diante; só sabemos que um anão é baixinho porque conhecemos um jogador de basquete que é alto; só conhecemos a claridade, a luz, porque conhecemos a escuridão; só concebemos o espaço vazio porque conhecemos a matéria que o preenche em determinados lugares; só conhecemos o frio porque vemos a diferença, quando comparamos com o calor.
    Portanto, para conhecermos a alegria e a felicidade eternas, isto é o PARAÍSO que herdaremos após esta vida, há a necessidade de conhecermos, antes, a dor e o sofrimento artificiais e passageiros desta vida terrena.

    2 – A realidade verdadeira é espiritual e, é a essência última de tudo, é o PARAISO se preferir assim chamar. É um lugar onde existe a independência total das limitações impostas pelo trinômio tempo x espaço x matéria que nos tornam falíveis , limitados, perecíveis e mortais aqui nesta vida.

    3- A dimensão espiritual é única, não existe oposto ou antítese. Inferno não existe muito menos demônios.
    Pensemos também que, se a dimensão do BEM a espiritual a definitiva e eterna, chamada PARAÍSO, tivesse uma dimensão oposta, uma antítese real e antagônica, a do MAL, chamada INFERNO, não haveria necessidade de Deus criar uma existência material, artificial e temporária para o ser humano, para demonstrar a antítese do BEM a percepção da diferença e a aprendizagem seriam apreendidas automaticamente dentro do mesmo nível de existência, já que as duas realidades espirituais seriam, naturalmente, opostas e contrastantes. Não haveria necessidade de criar seres, essencialmente espirituais e eternos, na forma material carnal; com existência temporária, como a nossa; sujeitos a todos os tipos de falibilidades e sofrimentos; não haveria necessidade de passarmos pelos traumas do nascimento e da morte física.”

    4 – O MAL não é eterno, não é transcendental, só existe nesta dimensão material. É artificial, temporário e finito. Quando, abatidos por ele, fecharmos os olhos nesta dimensão, abriremos na outra, na espiritual e diremos: “acabei de ter um pesadelo que serviu para me mostrar, pela diferença, quão fantástico, maravilhoso e eterno é este paraíso que agora habitarei para sempre por benção de Deus.”
    Qual o propósito de tudo isto? Se não o que estamos, aqui, sugerindo neste momento? Que realmente o mal não tem existência eterna, é ilusório, é artificial, como um filme projetado em uma tela. Encerra-se a projeção, acaba-se a existência daquela realidade. Não transcende o mundo material. Tem o propósito, exclusivo, de tornar o Bem, o Paraíso, algo perceptível e evidente através de um processo pedagogicamente correto e necessário.

    5 – Foi delegada, também, ao próprio homem a responsabilidade pela promoção do MAL nesta vida terrena. Através de um atributo humano chamado egoísmo o homem é capaz de promover com incrível competência, determinação e impiedade o mal para si próprio e para seus semelhantes. Como não existem demônios para promover o mal coube ao próprio homem faze-lo. Assim os grandes e pequenos tiranos e malfeitores da humanidade serão cumprimentados com parabéns quando forem para dimensão verdadeira. Afinal não é fácil promover uma guerra, um genocídio um assassinato ou outras barbáries qualquer. Fazer o MAL e uma missão recebida, assim como fazer o BEM também o é. O que importa é que nesta vida todos, sem exceção, bons e maus, recebem a ação do mal, fato indispensável para o cumprimento do objetivo da nossa odisséia na terra: conhecer a antítese, o contraste do BEM para que o mesmo se torne perceptível como algo realmente fantástico. Lembremos do primeiro principio: Só podemos conhecer uma realidade através do conhecimento de sua antítese.

    antoniofrosa.blogspot.com

    Curtir

  12. prezado Antonio

    o objetivo deste fórum é tentarmos um aproximação da verdade, sinta-se a vontade para questionar, discordar e principalmente expor as suas idéias, sinto me honrado com a sua presença e divergencias são necessarias para um crescimento produtivo.

    Eu penso que deus criou o homem perfeito e a imperfeição e o mal que que nos vivemos e sofremos é articial e finita e temporária. É só existe nesta dimensão material.
    R: Se entendi bem, ao contrario da minha teoria, a sua afirma que o homem foi criado perfeito e tornou-se imperfeito apenas ao entrar nesta dimensão

    Vanderlei não é Deus que não conseguiu fazer o homem perfeito. Deus ainda não fez o homem. Deus esta fazendo o Homem neste momento
    R:Então, no seu entendimento neste momento da criação, onde se encontram todos os mortos?
    E os que se encontram em processo de gestação?
    E os que ainda estão sendo projetados e desejados apenas no pensamentos dos futuros pais?

    O Conhecimento da imperfeição e a experiência com o mal são necessários a para a percepção da perfeição absoluta que herdaremos.
    R: Um pré-requisito da perfeição é o total conhecimento do todo, então todos terão adquirido esse conhecimento após esta vida? Ou aquisição do perfeito conhecimento será adquirido automaticamente por todos, após suas mortes? Pois uns partiram antes e outros depois, pois o tempo desta vida não é o mesmo para todos.
    Alem do mais o conhecimento varia conforme a personalidade do individuo vivendo diferentes experiências próprias.
    Certamente na morte as pessoas possuirão diferentes níveis de entendimento e conhecimento elas se tonaram todas iguais?
    Manterão seu livre-arbítrio? E suas personalidades próprias?
    Se o objetivo desta vida é apresentar a referencia do mal, para fazer o ser humano entender e conhecer a perfeição do paraíso, o que você me diz dos natimortos, ou bebês que morrem na tenra idade da “inocência”, eles não conhecerão o mal , nem a imperfeição, então não entrarão no seu perfeito paraíso ?

    Voce diz tambem que se fossemos perfeitos vivendo numa dimensão perfeita nos entediaríamos e não seriamos felizes.
    Creio que este universo em constante mutação seja um grande objeto de deleite do mundo espiritual.
    R: Este deleite seria uma espécie de ociosidade paradisíaca?
    sds

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s